Job#1 – Feedback Geral

feedback_questions7

Depois de lermos tudo com muita atenção e carinho, chegou a esperada hora do feedback. O pessoal já começou a receber seus arquivos canetados individualmente, mas vai ser praxe por aqui fazer um feedback geral, com um apanhado do erros e acertos mais recorrentes nos trabalhos. Esse é um jeito de todo mundo poder aprender com o trabalho dos outros.

E já que nós pedimos um Top#5 para vocês, também vamos devolver um Top#5 das coisas que mais chamaram nossa atenção nos trabalhos de vocês. Aqui vamos nós:

 

1. HIPÓTESE TEM MAIS A VER COM O PROBLEMA DO QUE COM A SOLUÇÃO

No briefing do job, uma das primeiras coisas que a gente falava era que o propósito desse exercício era treinar um skill super importante para o estrategista: a capacidade de formular hipóteses iniciais. Isso é importante porque muitas vezes não temos nada além do nosso repertório e de poucas evidências de suporte.

Na maioria dos trabalhos, percebemos uma grande confusão entre hipóteses e estratégias. E, para facilitar, a principal diferença entre elas é que hipótese tem a ver mais com o problema e estratégia mais com a solução. Em outras palavras, hipótese é o que você acha de saída que podem ser as principais barreiras que a comunicação vai precisar superar, as oportunidades que não pode deixar de aproveitar, ou seja, aquilo que a marca vai encontrar pela frente e precisa se preparar. Estratégia são as escolhas que fazemos para enfrentar esses problemas. Pode parecer uma tecnicidade boba de gente crica, mas na prática faz muita diferença no trabalho. Notem nos exemplos abaixo, retirados aleatoriamente de alguns trabalhos de vocês:

Screen Shot 2013-11-26 at 7.22.21 PM

Nesse primeiro exemplo, foi-nos apresentado uma armadilha: considerar o produto saudável apenas porque é água. Ele tem altos níveis de açúcar e seria um enorme risco posicioná-lo como saudável. Isso é uma excelente hipótese, porque apresenta uma barreira de entrada para a marca, algo com que ela vai precisar lidar.

Screen Shot 2013-11-26 at 7.29.00 PM

Já o segundo exemplo faz claramente uma recomendação de incorporar uma postura e atitude à marca, que pode ajudá-la a se conectar com as pessoas. Independentemente se isso é bom ou ruim, o fato é que não é uma hipótese, já que não trata do problema e sim da solução.

 

2. INFORMAÇÃO E OBSERVAÇÃO SÓ TÊM VALOR QUANDO VEM ACOMPAHADAS DE PONTO DE VISTA E IMPLICAÇÃO

O segundo ponto é sobre a relação entre informação e opinião. É claro e evidente que estratégia tem tudo a ver com informação. É nossa matéria prima. Porém, apenas a informação pura e simples tem muito pouco valor. O estrategista tem por dever usar a informação como meio para construir uma análise e um ponto de vista sobre determinado assunto. Seguindo a metáfora, a matéria prima precisa passar por um processo de manufatura para virar algo que tenha valor.

Em muitos trabalhos, vimos informações serem colocadas de forma “vazia”, ou seja, sem uma opinião, sem um ponto de vista, sem uma implicação direta para a marca. E isso é um dos pontos mais críticos na nossa visão, porque essa é a essência do trabalho de estratégia. Estratégia tem muito a ver com opinião. Uma opinião estudada, educada, embasada, mas uma opinião. O valor do estrategista está na habilidade que ele tem em gerar pontos de vista e fazer escolhas a partir disso.

Notem nesses exemplos a diferença que faz uma informação colocada de forma oca e outra, da mesma natureza, recheada com opinião.

Screen Shot 2013-11-27 at 01.36.45

No primeiro exemplo, vemos apenas uma descrição do tipo de produto que é Red Bull, como ele é consumido e um dos seus significados. E para por aí. Essas informações, apesar de corretas e verdadeiras, não ajudam a entender melhor o problema de Vitamin Water.

Screen Shot 2013-11-27 at 01.12.36

Já no segundo exemplo, vemos um ponto de vista bem estabelecido. O pensamento coloca Red Bull como uma bebida mais associada à noite [como no primeiro exemplo], mas mostra uma implicação direta para Vitamin Water: o espaço que se abre no território de energia na medida em que Red Bull se afasta dele. Isso é uma perspectiva muito interessante que já faz com que se pense em uma possibilidade de posicionamento de mercado para a marca. Aí fica claro o valor do trabalho de estratégia.

 

3. TORNE SUAS ESCOLHAS MAIS EVIDENTES

Essa é uma frase muito repetida, mas muito verdadeira: estratégia é fazer escolhas. É ter a habilidade de avaliar uma série de cenários possíveis e apontar um caminho a ser seguido. Ou no caso desse exercício, da hipótese a ser levantada.

Além da plena consciência dessas escolhas que estamos fazendo, é importantíssimo que tenhamos o máximo de clareza possível sobre o ponto que estamos querendo construir e a conclusão que queremos chegar. E isso acabou não acontecendo em uma série de trabalhos que analisamos. Em muitos casos nós tínhamos que “pinçar” uma hipótese que estava perdida no meio de outras tantas coisas que estavam sendo ditas [e que normalmente tomavam mais tempo e eram menos importantes]. Vejam esse exemplo abaixo:

Screen Shot 2013-11-27 at 01.53.00

Aqui o pensamento foi destacar como diferentes bebidas têm diferentes hábitos de consumo pelo Brasil. Mas essa observação traz consigo algo muito mais interessante que não foi explorado. O ponto aqui poderia ter sido sobre como estabelecer uma ocasião de consumo bem definida na cabeça das pessoas pode ser um fator determinante para o sucesso da marca no Brasil. Mas isso acabou se perdendo no meio de uma ideia de regionalismo, suco de fruta natural, preço justo… coisas que não têm a ver com o ponto que poderia ter sido feito, mas não foi.

Uma boa dica para melhorar nisso é sempre pensar na opinião que você quer construir em cada ponto. Depois de fazer isso, comece fazendo um título para esse ponto. Algo bem direto, no estilo manchete de jornal. Aí sim você começa a escrever o texto. Isso certamente vai ajudar a ter mais clareza sobre o ponto que se está construindo.

 

4. USE O FORMATO PARA AJUDAR A ORGANIZAR O SEU PENSAMENTO

Quando a gente propôs o formato Top#5 não foi simplesmente porque sim, por um capricho nosso ou porque somos defensores dele. Formatos de storytelling estão aí à nossa disposição, para usarmos quando e se eles nos ajudam. Mas nesse caso ajudava. Trabalhar com hipóteses é uma tarefa sempre complicada e listar os 5 principais poderia ajudar na organização desse pensamento.

Mas o que vimos na prática é que muitos trabalhos abandonaram o formato em favor de nada melhor, o que acabou produzindo uma série de pensamentos difusos, que poderiam ter ficado mais claros dentro do formato. Organização e encadeamento de raciocínios é um skill essencial para o estrategista, que tem que lidar com tantos níveis de informação e complexidade.

Outra coisa que muitos esqueceram foi de fazer a escolha entre um dos 5 pontos. E muito que faziam a escolha não a justificavam muito bem. Ess era um momento chave do exercício porque ele propunha o treinamento daquilo que, como dissemos acima, é mais essencial para o estrategista: escolher, apontar caminhos e direções.

 

5.  APOSTE TODAS AS FICHAS EM SER MAIS INTERESSANTE

Esse pode ser o ponto mais subjetivo de todos, mas é também um dos mais importantes. Existe uma armadilha constante no trabalho de estratégia que cada um de nós está sempre prestes a pisar: a armadilha do lugar comum. Muitas vezes lidamos com as mesmas informações, que podem levar às mesmas análises e escolhas. E isso acontece com muita frequência, inclusive entre muitos trabalhos que recebemos.

Mas para fugir do lugar comum, preferimos falar não sobre ele, mas sobre o contrário: sobre ser interessante. Encontramos em vários trabalhos hipóteses muito criativas, que fogem do senso comum e provam como estratégia faz toda a diferença em comunicação.

Teve gente falando sobre como diversificar canais de distribuição pode ser um fator diferenciador para a marca, dando farmácias como exemplo. Tiveram outros, como o exemplo do ponto 01 que questionaram a pecha de saudabilidade aparente de Vitamin Water considerando o caminho um tiro no pé. Outros ainda falaram sobre como esse é um produto que pode se beneficiar muito da dinâmica de pirâmide de influência, onde os formadores de opinião seriam o público prioritário.

Enfim, pensamentos muito interessantes, que fazem a gente pensar no lançamento por outros pontos de vista e demonstram todo o valor do trabalho estratégico. Well done.

 

QUAL DESSES FEEDBACKS É O MAIS IMPORTANTE?

Assim como pedimos para vocês, também escolhemos aqui qual desses 5 feedbacks é o mais importante para vocês guardarem. E é o primeiro, sobre a confusão entre hipótese e estratégia.

E a justificativa é simples: era esse skill que o exercício se propunha a treinar e é isso que a gente mais gostaria que vocês tirassem desse trabalho: hipótese tem a ver com problema, com barreiras, oportunidades, pontos de atenção etc. Pode confiar: é  a partir desse trabalho bem feito de levantamento de hipóteses e definição de problema que vocês vão chegar nas melhores estratégias.

winner

Feedback finalizado, agora é hora de prêmio. Rufem os tambores, a vaga na Conferência vai para… Diego Rezende, Planejador da agência Filadélfia lá de BH. Well done, my friend. Nos vemos na segunda lá na Conferência!

 

Galera, em nome do juri eu quero parabenizar não só o Diego, mas todo mundo que participou e falar que a conversa não precisa terminar aqui não. Os comentários estão aí para isso. É hora de vocês nos darem seus feedbacks :]

20 thoughts on “Job#1 – Feedback Geral

  1. Parabéns Daniel de Tomazo e Felipe Senise pela iniciativa. Isso sim é contribuir para o mercado.
    Desejo sucesso a Sandbox!

    Obrigado André Foresti, Caio Delmanto e Rapha Barreto pelo tempo. Ler este monte de trabalho, nessa época do ano não deve ter sido mole não…

    Valeu pessoal. Nos vemos na conferência.
    Abraço.

  2. Muito bom! Ainda não recebi o feedback individual, mas já deu pra perceber meus erros e acertos. Legal também ver gente pensando tão diferente e apresentando hipóteses tão bacanas.

    Acredito que o erro em persistir mais em apresentar soluções do que perceber problemas e formular hipóteses (que também cometi) se deve ao vício da urgência na rotina de trabalho de muita gente no mercado publicitário. Não aponto isso como uma desculpa, mas como uma hipótese (ahá!) para entender tal erro que foi comum nos trabalhos (opa, já dei o primeiro passo contra a corrente? hahaha).

    Espero o próximo exercício! =)

    • Excelente esse seu ponto, Daniel. Também tenho essa impressão que a vida vive nos atropelando e que na ansiedade pela solução, esquecemos de começar pelo problema. Essa sim é uma hipótese de verdade :]

      • Achei a hipótese bem válida, esse foi um ponto que me pegou muito quando voltei a trabalhar com planejamento. Acredito que a pressa de resolver o projeto/job acaba inconscientemente nos levando a querer dar uma resposta e não levantar um questionamento…

  3. Que legal tudo isso. Muito bacana ver uma conversa séria sobre planejamento como está rolando aqui.
    Ainda não recebi meu feedback individual, mesmo não tendo levado, tô feliz pelo cuidado que vocês estão tendo em fazer isso acontecer.

    Uma coisa que quero fazer é trocar ideia com outras pessoas que tiverem participado do primeiro job. A conversa é essencial para evolução.

    Aquele Abraço, Galera!

  4. Estou muito feliz com a iniciativa de vocês e principalmente por poder participar dela. Eu acredito muito no feedback como forma de aprendizado e espero poder aprender bastante com os que vou receber de vocês. Também aguardo ansiosa pelos cursos da Sandbox. Obrigada meninos. Um beijo

  5. Olá pessoal.
    Poxa, muito legal o feedback :)
    E parabéns Diego! E falando no ganhador, teria como disponibilizar o arquivo? Será um complemento muito interessante.

    Obrigada.

  6. Olá pessoal.

    Nesse primeiro job já vi que a discussão vai ser de alto nível. Acredito que o principal ponto levantado nos feedbacks foi o aprendizado principal para mim.

    Parabéns ao Diego e toda a equipe pelo cuidado com os trabalhos.

    Assim como o Fabrício disse, acho interessante uma troca de ideia mais intensa entre os participantes dos jobs.

    É isso. No aguardo das próximas missões.

  7. Opa, parabéns aos organizadores, aos participantes e ao ganhador!
    Por falar nele, acho que seria bacana mostar qual o caminho que ele percorreu, na prática, a fim de traçar uma estratégia mais interessante para a marca.

    Abs,

  8. Boa noite gente.

    Feliz pelo resultado do Diego, e feliz pelo feedback construtivo para nosso crescimento. Que iniciativa bacana!!
    Contem com as minhas participações para próximos jobs!

    Abração pessoal!

  9. Primeiro queria agradecer a todos os envolvidos no projeto, uma iniciativa sensacional da parte de vocês. Valeu mesmo.

    Outra coisa… Queria também elogiar o formato proposto pela APSotW. Muito melhor que colocar um monte de texto explicando teorias é dar a chance de pensar, fazer e aprender com os acertos e erros.

    Percebi meus erros nos 5 tópicos citado acima hahahaha.

    Mas valeu muito pela oportunidade, pelo conhecimento que fica, pelo amadurecimento que isso vai gerar e com certeza pela troca que já está acontecendo aqui.

    Parabéns também pro Diego. Se possível libera o arquivo aí pra gente que com certeza vai complementar ainda mais esse aprendizado.

    Um abraço a todos, e fico agora na espera do proximo job.

  10. Olá pessoal.
    Muito obrigado pela oportunidade que vocês nos deram, percebi que errei em alguns pontos, e com o feedback isto com certeza vai me ajudar a melhorar para o próximo desafio.

    Muito obrigado!

  11. Estou super feliz com a iniciativa e estava ansiosamente esperando pelos feedbacks.
    É muito mais fácil de aprender nesse formato, além de descobrir novos formatos de trabalho, acho que nunca mais erro o que errei nesse job.

    Também acho muito bacana a ideia de compartilhar as experiência com outros participantes, podíamos criar um grupo para essa troca, o que acham?

      • Primeiro, gostaria de dar os parabéns pela iniciativa. Acho que são coisas assim que fazem muita falta no mercado de planejamento, e vocês estão fazendo um trabalho incrível em suprir esse problema :)

        Por N motivos, não consegui fazer o job, mas pretendo fazer os próximos. Até por isso tenho interesse em participar de grupos e afins. Eles serão abertos para o público?

        abs

  12. Agradeço a oportunidade e quero participar de todos que forem disponibilizados. Na faculdade não fiquei nem sabendo da existência do planejamento e por isso acabei perdendo o “time” para entrar na área. Esses exercícios vão me ajudar muito para entender mais, me sentir mais segura e correr mais atrás mesmo sem experiência. Obrigada!

  13. A experiência foi fantástica e eu fiquei muito feliz com este primeiro aprendizado. Vocês estão de parabéns!

    Estou certo de que os nossos próximos trabalhos darão um salto em qualidade e que, muito em breve, teremos um grupo muito mais preparado para enfrentar o mercado.

    Já estou ansioso para o próximo job.

    Obrigado pelo carinho e pelo tempo de vocês.

  14. Olás,
    Apesar do atraso, gostaria tambem de agradecer demais aos organizadores. Muito obrigada!
    Levando em conta a minha experiência no exercício, minha hipótese foi a expectativa que criei no meu resultado final.
    Como li muitos exercícios da biblioteca, e achei brilhantes, criei a expectativa de elaborar algo igualmente genial.
    Adivinhem: travei total, engessei. Não consegui e deixei de lado o principal, me divertir e aprender ao longo do processo.

    um grande abraço a todos e aproveito pra desejar Boas Festas
    Aleta.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>